Estrutura

Aço Leve Galvanizado (também conhecido por LSF, do inglês Light Steel Frame).

Este material de construção é uma excelente alternativa à alvenaria. Constituída por aço de baixo peso, como o nome indica, a estrutura permite construir facilmente, por não requerer maquinaria pesada para montar, não deixando de ser extremamente robusta. Este tipo de construção tem uma grande segurança estrutural, é anti-sísmica e resistente ao tempo, já que sendo leve, há menor probabilidade de danos estruturais e de abertura de fendas no edifício. O peso das habitações é distribuído ao longo do esqueleto metálico da estrutura, dispensando esta todo o tijolo e cimento que se usa na alvenaria e possibilitando a utilização de grandes placas de OSB, que resiste muito melhor a quebras e tensões.

Adicionalmente, há enormes vantagens no equilíbrio de temperatura no interior das casa, com um excelente isolamento térmico e acústico, bem como resistência e adaptação a humidades.

 

OSB (do inglês, Oriented Strand Board, ou Painel de Tiras de Madeira Orientadas)

Na estrutura, utilizamos também grandes placas de OSB, que é um derivado da madeira em que pequenas lascas são orientadas em camadas cruzadas, de forma a garantir uma alta rigidez e resistência.

Pelas suas propriedades mecânicas, o OSB é particularmente útil à construção civil, já que consegue suportar enormes pesos sem sofrer qualquer dano. Também é um material adequado para melhorar a eficiência térmica e acústica de um edifício.

É resistente à humidade. A madeira expande naturalmente na presença de água, e seca quando o ambiente fica mais seco, sem prejuízo das suas propriedades estruturais.

 

Lã de Rocha

Para aumentar a eficiência acústica e térmica, incluímos no interior das paredes 60 mm de lã de rocha. É um material isolante, incombustível e imputrescível.

Através do enrolamento e disposição em muitas camadas da fibra, a lã de rocha forma inúmeras bolsas de ar que ajudam a não deixar escapar ruído ou calor, tornando-a perfeita para isolamento.

Gesso cartonado com barramento (acabamento das paredes interiores)

O gesso cartonado é um material que permite o revestimento seco de paredes interiores. Devido à sua porosidade, resiste muito bem a humidades, absorvendo água quando o ar se encontra mais húmido e soltando-a quando está mais seco, não sendo danificada. Por isso, a sua utilização é recomendada mesmo em zonas onde a humidade pode significar danos nas paredes, como acontece noutras alternativas de construção (p.e., alvenaria). Como os restantes materiais listados, defende muito bem o interior do ruído, sendo possível aumentar ainda mais essa resistência se for aplicada camada dupla. É também o material de eleição para melhor proteger os edifícios do fogo.

Revestimentos Exteriores

 

ETICS (do inglês, External Thermal Insulation Composite System, ou Reboco Delgado Armado sobre Poliestireno Expandido)

É um sistema de revestimentos de isolamento térmico constituído por placas de poliestireno expandido (EPS). As placas aderem à parede através de cola e fixações mecânicas. São depois revestidas por um reboco de várias camadas e armado com redes de fibra de vidro. Finalmente, o acabamento é feito com uma outra camada protectora de ligante sintético.

Madeira

Trabalhamos com madeira de pinho termomodificada, o que lhe dá uma grande resistência ao tempo e às intempéries, sem ser necessária a adição de químicos prejudiciais à saúde humana e/ou ao meio ambiente. Não necessita de manutenção para prevenir a sua degradação. No entanto, se pretender que o seu tom não fique mais claro com o passar do tempo, deverá aplicar velatura de 2 em 2 anos. A nossa madeira tem a certificação FSC, indicando que é de origem controlada e sustentavelmente explorada. É também possível desenhar várias configurações e alinhamentos da madeira no revestimento, permitindo obter diferenças estéticas que poderão variar a seu gosto.

Cortiça

É o material que a goodmood mais gosta de recomendar. Os seus benefícios de isolamento térmico e acústico são máximos e é nacional, reciclável e natural. É resistente às condições metereológicas exteriores, ou seja, não se degrada com o sol, chuva ou vento. De novo, a única diferença com o tempo será estética, com o aclaramento do tom da cortiça. Todavia, muitas pessoas preferem o envelhecimento natural e não aplicam qualquer tratamento, fazendo com que não haja qualquer necessidade de manutenção. Caso queira manter o seu tom escuro, poderá fazer o tratamento da cortiça de 3 em 3 anos.

É importante esclarecer que a cortiça que utilizamos é um produto diferente do usado há muitos anos para revestir paredes interiores. Embora seja 100% cortiça, sem a adição de qualquer químico durante o seu fabrico, esta cortiça sofre transformações através de pressão e temperatura que, ao contrário de versões anteriores, a tornam perfeitamente adequada a exteriores.

Em Portugal, é produzida 50% da cortiça a nível mundial, e é transformada 70%, o que nos torna ainda mais defensores deste material, muito nosso, muito Português.

Apesar de ser muito importante o acréscimo de eficiência energética que dá às habitações, também achamos que este é um material muito belo e característico, que dará personalidade à sua casa.